A GTECH Strategies Limited recebeu o desafio da Zoono Group Limited para elaborar um estudo independente, em contexto real na indústria ferroviária do Reino Unido que permitisse avaliar a eficácia residual, até 30 dias, do Z-71 Microbe Shield .
O Âmbito do estudo focou-se:
•Na ação residual do Z71-Microbe Shield, como fator de diferenciação, e motivo pelo qual é considerado mais eficaz (superior) face aos produtos de desinfeção convencionais disponíveis no Reino Unido;
•Na evidência técnica que suportasse a decisão e testes subsequentes para monitorização da eficácia.

A GTECH Strategies Limited atua como principal consultora técnico/científica para a indústria ferroviária do Reino Unido desde 1997, fornecendo um uma ampla gama de serviços de suporte neste sector de atividade.

Os operadores de transportes são confrontados constantemente com as seguintes dificuldades na programação da limpeza das carruagens:
•Rotas que não asseguram o retorno de pelo menos uma vez por mês das carruagens para manutenção (às vezes períodos ainda mais longos);
•Manutenções mecânicas programadas que inviabilizam as operações de limpeza;
•Dimensão da frota e problemas inesperados nas carruagens vs o número de passageiros.
•Outras dificuldades relacionada com as infraestruturas de alguns estações de manutenção que permitam a realização adequada das operações de limpeza.

Consequentemente, a frequência com que as carruagens passam por uma limpeza profunda e programada varia entre ciclos de 20-60 dias (dependendo do operador e da localização geográfica) e uma limpeza intermitente adicional em ciclos de 1 a 6 dias (novamente dependendo do operador/localização), mas apesar de rara, não passa de uma limpeza localizada em locais particularmente sujos.

Em 2010 foi identificado por vários clientes e pela GTECH a necessidade de identificar e avaliar produtos e tecnologias alternativas de limpeza, face ao crescimento dos riscos de pandemias virais.
Desde essa altura, a GTECH mantém no radar, os desenvolvimentos e inovações da industria química.

Relativamente aos desinfetantes de superfície convencionais, os mesmo apresentam as seguintes desvantagens para os operadores de transportes:
•Embora sejam comprovadamente microbicidas, só permanecem ativos enquanto estão em contato com a superfície a ser tratada. Um comboio que retorna ao serviço após a desinfeção pode ser recontaminado de imediato por uma pessoa infetada;
•A desinfeção diária das superfícies não é operacionalmente possível.

Durante Agosto e Setembro de 2015, a GTECH Strategies Limited definiu o âmbito do projeto e liderou um teste em colaboração com a London Underground Limited e a Zoono. O teste envolveu as barras de apoio/corrimãos ao longo de 4 carruagens de comboios, sendo levemente limpos com detergente normal e tratados com Z-71 Microbe Shield por aplicação com pano.

As carruagens entraram em serviço e foram expostas às condições normais de operação por um período de 25 dias, o que incluiu a limpeza diária no local (como e quando necessário) e um ciclo de limpeza profunda de 21 dias

Após o período de 25 dias, foram retirados esfregaços nas barras de apoios das carruagens tratadas e num número igual de carruagens não tratadas, posteriormente enviados para um laboratório independente.

Os resultados revelaram o seguinte:

•Todos as barras de apoio das carruagens tratadas foram classificadas como "quase estéreis" (ou seja, contagens de colónias viáveis totais <10 em todos os casos).
•Nas barras de apoio não tratadas, os resultados do teste de esfregaço foram os seguintes:
•20% foram classificados como 'grosseiramente contaminados'.
•45% foram classificados como 'contaminados'.
•35% foram classificados como 'quase estéreis'.

Nas últimas semanas, face ao rápido desenvolvimento da pandemia pelo novo coronavírus que provoca a doença COVID19, e pelas evidências que este vírus pode permanecer nas superfícies até 72 horas, se estas não forem tratadas, foram conduzidos pela GTECH Strategies Limited, em colaboração com um laboratório independente credenciado pelo UKAS, testes por esfregaço para o vírus da Covid-19, E Coli e Staphylococcus.

Um total de 72 amostras recolhidas em 23 comboios, tanto na carruagem dos passageiros como nas cabines dos motoristas. Todos os comboios estavam em serviço normal entre 8-30 dias desde a aplicação mais recente do Z-71 Microbe Shield.

O resumo dos resultados foi o seguinte:
•Nenhuma presença de Covid-19 detetada;
•Nenhuma presença de E. Coli detetada;
•Nenhuma presença de Staphylococcus detetada em 70 amostras - em 2 amostras, a quantidade detetada foi tão baixa que a superfície ainda seria classificada como 'quase estéril'.

Notas da conclusão
1.O produto Z-71 Microbe Shield é tecnologicamente novo e inovador;
2.O desempenho da atividade microbicida residual está a ser corroborado pelo número crescente de evidências de estudos de cas, em contexto real, que se encontram em curso na indústria ferroviária do Reino Unido;
3.A GTECH Strategies Limited é de opinião que mais testes laboratoriais do produto sejam altamente benéficos para provar a atividade microbicida residual, além de qualquer dúvida razoável;
4.Seria necessário o envolvimento de laboratórios comerciais e agências que definissem os padrões de teste, a fim de projetar um programa de teste adequado para avaliar com precisão e reprodutibilidade a atividade microbicida residual num ambiente de laboratório;
5.O produto parece oferecer um nível de proteção mais alto do que aquele desenvolvido pelos desinfetantes de superfície convencionais e é compatível com as restrições logísticas e operacionais do sector ferroviário.